17 de julho de 2024

Sebrae-SP e Casa de Criadores promovem capacitação em moda com foco em sustentabilidade voltada para população trans

 Sebrae-SP e Casa de Criadores promovem capacitação em moda com foco em sustentabilidade voltada para população trans



Em seus 27 anos de existência, a Casa de Criadores (CdC) sempre cultivou uma programação variada em torno da moda autoral e das frentes nas quais ela pode se desdobrar além dos desfiles, como apresentações musicais, exposições e oficinas de criação. Para a CdC, moda é tanto uma expressão estética como um ofício, instrumento para autonomia financeira e afirmação social. Para sua edição 54, que se inicia no dia 24 e depois segue entre 26 e 30 de julho, a Casa se une ao Sebrae-SP para colocar na programação a oficina Crie Moda Autoral Trans-Forma. O evento será realizado em locais históricos de São Paulo, dentro do Vale do Anhangabaú.


 


Com inscrições gratuitas, a oficina de qualificação profissional em moda tem o foco em sustentabilidade, com processos de reuso e reaproveitamento de materiais, voltada exclusivamente para a população trans. Além das noções práticas, a oficina também vai guiar os participantes a pensarem na elaboração das materialidades da moda como registro de suas vivências como pessoas trans.


 


Os módulos da oficina vão acontecer entre os dias 26 e 30 de julho, de 10h às 18h, na Galeria Prestes Maia (Vale do Anhangabaú). A iniciativa é aberta a todas as pessoas transgênero, com ou sem formação e independentemente de terem ou não experiência em moda. Para participar, deve ser feita, primeiro, uma inscrição no link do formulário para registro de interesse, até o dia 17 de julho. Todas as pessoas inscritas passarão por um processo de seleção que levará em conta critérios de inclusão social, sendo contemplades 25 que estejam em situação vulnerável e aptos à participação. O objetivo é experimentar, gerar e difundir pensamentos atrelados à moda e à cultura, com foco em capacitação profissional através do ensino de noções básicas do ofício – de forma que, a partir desse aprendizado, os participantes possam iniciar seus negócios e assim ter mais condições de obter renda.


 


O mote principal da iniciativa está na a redesignação têxtil e em re-exercitar a capacidade de reutilização de materiais têxteis descartados, aplicando-os em novos formatos, ressignificando o descarte e criando um elo entre o têxtil e a arte: isso se dá na utilização desses elementos tidos como resíduos em diferentes técnicas manuais para catalogar a existência de pessoas trans através do fazer artístico e representá-lo enquanto objetos de arte. Os professores dos módulos serão o designer e artista visual Alexandre dos Anjos, que abordará os processos criativos guiados por ancestralidade e memória, o designer Jorge Feitosa, que conduz a área de corte e costura com abordagem colaborativa, numa instalação têxtil, e a designer e multiartista Dayony Moura, que desenvolve o tema do reuso de materiais.


 


"A oficina Crie Moda Autoral Trans-Forma está sendo promovida pelo Crie, o Polo de Referência em Economia Criativa, liderado pelo Sebrae-SP. Um dos objetivos do Crie é fomentar o campo da moda no âmbito da economia criativa, contribuindo para a geração de inclusão e renda por meio dessa atividade. Nesse sentido, é uma satisfação para nós realizar uma oficina tão alinhada com nossos valores e com um potencial de impacto tão interessante", afirma Martha Lopes, consultora de economia criativa e gestora de projetos para moda autoral do Sebrae-SP.


 


SERVIÇO - CASA DE CRIADORES - 54a. EDIÇÃO


Evento: Oficina Crie Moda Autoral Trans-Forma - Casa de Criadores 54


Data: De 26 a 30 de julho de 2024, de 10h às 18h


Local: Galeria Prestes Maia (Vale do Anhangabaú)


Inscrições até o dia 17 de julho no formulário a seguir: Link 















Me encontre nas redes sociais:

Fonte: Assessoria de imprensa 

Quero ler o post completo

Penteados Olímpicos: 7 dicas de penteados fáceis e funcionais para arrasar na prática de atividades físicas

 Penteados Olímpicos: 7 dicas de penteados fáceis e funcionais para arrasar na prática de atividades físicas


O mês de julho está chegando e, com ele, o espírito vibrante dos Jogos Olímpicos de 2024. Paris será o palco dessa celebração global do esporte, que acontecerá de 26 de julho a 11 de agosto, reunindo atletas e entusiastas de todo o mundo. É nesse cenário de adrenalina e superação que surge uma nova onda de inspiração para aqueles que amam se exercitar com estilo.

 


Nesse clima vibrante, a prática de esportes se torna uma oportunidade perfeita para experimentar e brilhar com penteados práticos e estilosos. Para inspirar e mostrar que a prática de atividades físicas pode ser uma ocasião para expressar sua beleza, a expert Bruna Scharf, da renomada rede de salões de beleza Walter’s Coiffeur, compartilha dicas e tendências de penteados que são perfeitos para quem quer se manter ativa sem abrir mão do estilo.


 Penteados Olímpicos: 7 dicas de penteados fáceis e funcionais para arrasar na prática de atividades físicas


1. Coque Alto Desestruturado



Ideal para esportes de alto impacto como corrida e crossfit, o coque alto desestruturado é a escolha perfeita para manter os fios longe do rosto. "Para dar um toque moderno, deixe algumas mechas soltas na frente", sugere Bruna. "Use um pouco de spray fixador para garantir que o penteado se mantenha firme durante toda a atividade."


 


2. Trança Embutida



A trança embutida é um clássico que nunca sai de moda. Ela mantém o cabelo no lugar e é perfeita para esportes como ciclismo e yoga. "A trança embutida é elegante e funcional", diz Bruna. "Para um toque especial, adicione fitas coloridas ou elásticos diferenciados, que também ajudam a dar mais segurança ao penteado."


 


3. Rabo de Cavalo com Tranças Laterais



Uma variação interessante do tradicional rabo de cavalo é adicionar pequenas tranças laterais que se juntam ao rabo principal. "Esse penteado é ótimo para atividades como tênis ou vôlei, onde o movimento constante exige um penteado firme", explica Bruna. "Além disso, as tranças laterais dão um charme extra e mantêm o visual descolado."



4. Coque Baixo com Tiara


Para quem prefere um estilo mais polido, o coque baixo combinado com uma tiara esportiva é uma excelente opção. "Esse look é sofisticado e prático, ideal para esportes como pilates e dança", comenta a expert. "A tiara ajuda a manter os fios curtos no lugar, enquanto o coque baixo dá um ar de elegância."


 


5. Space Buns



Os space buns, ou coques duplos, são perfeitos para quem quer adicionar um toque divertido ao seu visual esportivo. "Eles são ótimos e ainda trazem uma vibe jovem e moderna", recomenda Bruna. "A dica é usar elásticos coloridos para dar ainda mais personalidade ao look."


 


6. Trança Boxer



As tranças boxer, também conhecidas como tranças de boxeadora, são ideais para atividades de alta intensidade como boxe e artes marciais. "Elas mantêm todo o cabelo firmemente preso e dão um visual poderoso e estiloso", sugere Bruna. "Além disso, são ótimas para quem tem cabelos mais longos e quer evitar que eles atrapalhem durante o treino."


 


7. Rabo de Cavalo Bubble



O rabo de cavalo bubble é uma tendência que combina estilo e praticidade. "Divida o rabo de cavalo em várias seções usando elásticos finos, criando um efeito de bolhas", explica Bruna. "Esse penteado é ótimo para corridas e treinos de academia, mantendo o cabelo seguro e sem perder o charme."














Me encontre nas redes sociais:

Fonte: Assessoria de imprensa 

Quero ler o post completo

Benefícios inesperados das "canetas" emagrecedoras mostram por que a obesidade é tão maléfica à saúde

Benefícios inesperados das "canetas" emagrecedoras mostram por que a obesidade é tão maléfica à saúde


Não faz muito tempo, a agência americana Food and Drug Administration (FDA) aprovou a semaglutida, o ingrediente ativo das famosas canetas emagrecedoras como Ozempic e Wegovy, para o tratamento da obesidade e, também, para redução do risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral em pacientes com obesidade e doenças cardíacas. Muitos relatos nas redes sociais mostrando uma melhor qualidade de vida somaram-se a alguns estudos, que começaram a surgir trazendo benefícios, para muitos, “inesperados” do tratamento antiobesidade; mas a verdade é que os médicos que trabalham com obesidade já sabiam há muito de algumas relações. “A ciência está mostrando, por meio dos estudos que acompanham pacientes que emagrecem com os medicamentos análogos ao GLP-1, que o acúmulo excessivo de gordura corporal está ligado a uma série de doenças, dentre elas o diabetes mellitus, dislipidemias, hipertensão arterial, problemas respiratórios, cardiovasculares, osteoarticulares, doenças inflamatórias, digestivas, degenerativas e neoplásicas. Estar excessivamente acima do peso também pode sobrecarregar os rins, o que, somado ao aumento da pressão arterial, faz com que o órgão perca progressivamente suas funções, deixando de filtrar o sangue e produzir hormônios, o que causa, consequentemente, a doença renal crônica”, explica a médica nutróloga Dra. Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN). “Além disso, a obesidade se relaciona com as doenças psiquiátricas como depressão e baixa autoestima; estudos têm considerado a inflamação causada pela obesidade como um fator de risco para doenças neurológicas, como a doença de Alzheimer e outras comorbidades neurais. O excesso de peso corporal também pode causar desregulações hormonais, que causam infertilidade, pioram o sono e destroem a qualidade de vida. A chave para entender essas ligações é saber que a obesidade aumenta o estado inflamatório do corpo. Com mais inflamação, há maiores riscos de inúmeras doenças e condições”, acrescenta a endocrinologista Dra. Deborah Beranger, médica com pós-graduação em Endocrinologia e Metabologia pela Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro (SCMRJ) e cursos de extensão em Obesidade e Transtornos Alimentares pela Harvard Medical School.


GLP-1 é a abreviação de peptídeo 1 semelhante ao glucagon, um hormônio natural que estimula a produção e liberação de insulina, retarda a digestão, reduz o apetite e diminui o foco do cérebro na comida. “As canetas emagrecedoras são medicamentos com esse composto e que são aplicadas através de injeção. Elas atuam no cérebro aumentando a saciedade e retardam o esvaziamento gástrico dando uma sensação de que comemos mais”, diz a Dra. Deborah Beranger. “Esses medicamentos foram originalmente desenvolvidos como tratamentos para diabetes, mas à medida que mais pessoas começaram a tomá-los, os pesquisadores observaram que esses medicamentos são eficazes para muito mais condições do que apenas diabetes e perda de peso”, diz a Dra. Marcella Garcez. “No entanto, todos os benefícios adicionais são relacionados ao emagrecimento. Não é indicado o uso desse medicamento para pacientes que não são portadores de obesidade ou outras doenças metabólicas como diabetes do tipo 2, assim como não deveria ser utilizado sem prescrição médica, porque não é livre de contraindicações e efeitos colaterais”, ressalta a médica nutróloga.


Nem todas as boas notícias dos medicamentos emagrecedores relatadas pelos usuários são confirmadas por estudos científicos. Algumas sensações podem ser comuns à perda de peso e outras podem ser mais complexas, mas incluem libertação de vícios (bebida alcoólica e cigarro), diminuição da ansiedade e da raiva e melhora da fertilidade.



Benefícios inesperados das "canetas" emagrecedoras mostram por que a obesidade é tão maléfica à saúde


Menor risco de insuficiência cardíaca



Na insuficiência cardíaca, o coração perde progressivamente a capacidade de bombear sangue suficiente para o resto do corpo. “Destes pacientes, aproximadamente metade tem um tipo conhecido como insuficiência cardíaca com fração de ejeção preservada, em que o coração consegue bombear normalmente, mas está rígido demais para se encher de sangue. Em estudo publicado no ano passado, pesquisadores testaram a semaglutida como tratamento para insuficiência cardíaca com fração de ejeção preservada em pacientes não diabéticos. O resultado: os pacientes que receberam o medicamento apresentaram menos sintomas e relataram melhor qualidade de vida, em comparação com aqueles que receberam o placebo. Os pacientes que receberam o medicamento apresentaram níveis mais baixos de proteína C reativa, que é um marcador de inflamação”, diz a Dra. Deborah. “Esta é uma grande descoberta, mas o estudo foi demasiado pequeno para determinar se a semaglutida pode reduzir o risco de hospitalização ou morte, mas dada a melhora acentuada na qualidade de vida dos pacientes, é promissor. Alguns desses benefícios são provavelmente relacionados à perda de peso”, diz a endocrinologista. “Mas os cientistas também lançam outras teorias, já que esses medicamentos também são cardioprotetores e reduzem a inflamação, que é conhecida por causar insuficiência cardíaca”, diz a Dra. Deborah.


Proteção contra doença renal



Os rins são muito sensíveis ao excesso de gordura corporal. É por isso que há no mundo uma epidemia de doença renal crónica – relacionada com o aumento da prevalência da obesidade. Mas existem poucos tratamentos eficazes. “Como demonstraram alguns estudos recentes, o agonista do GLP-1, dulaglutida, ajuda pacientes que sofrem de doença renal crônica e diabetes. Num ensaio recente que analisou o efeito da semaglutida em doentes com doença renal crônica e diabetes tipo 2, outra doença que se relaciona com a piora do funcionamento dos rins, o tratamento foi tão eficaz no atraso da progressão da doença renal crônica que o ensaio clínico foi interrompido precocemente para que todos os doentes do ensaio pudessem se beneficiar do tratamento medicamentoso”, diz a médica nutróloga. “Foi o único ensaio com semaglutida que foi interrompido precocemente devido à eficácia. Para interromper precocemente um ensaio de eficácia, isso mostra que existem provas tão suficientemente fortes da sua eficácia que já não seria considerado ético continuar a administrar o placebo a outro grupo de pacientes”, destaca a Dra. Marcella. “Os efeitos sobre os rins são apenas parcialmente devidos à redução de fatores de risco, como pressão arterial, açúcar no sangue e peso. Outros benefícios provavelmente resultaram da redução da inflamação”, acrescenta a médica nutróloga.


Maiores chances de gravidez?



Um número crescente de pacientes que tomam agonistas do GLP-1, como Ozempic ou Mounjaro, relatou nas redes sociais um efeito colateral surpreendente: a gravidez inesperada, que para alguns pacientes ocorreu após anos de luta contra a infertilidade. Os relatos foram apelidados pela imprensa


norte-americana de “Baby Boom Ozempic”, em analogia aos crescentes relatos que fazem a relação entre os medicamentos e a melhora da fertilidade. “Pouco se sabe sobre os efeitos do Ozempic e de medicamentos semelhantes em mulheres que desejam engravidar ou que engravidam enquanto tomam os medicamentos, porque foram especificamente excluídas dos primeiros ensaios clínicos do medicamento. No entanto, já é bem estabelecido pela ciência que há melhora da ovulação com a redução da resistência à insulina e do peso, dois benefícios promovidos por esse tipo de medicamento”, pontua o Dr. Fernando Prado, especialista em Reprodução Humana, Membro da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva (ASRM) e diretor clínico da Neo Vita. “A perda de peso pode afetar a ovulação e a fertilidade. Da mesma maneira, com o equilíbrio dos hormônios e a melhora da resistência à insulina, o acesso hormonal volta a funcionar e isso pode ajudar com que as mulheres comecem a ovular novamente – e dependendo do grau de resistência à insulina e obesidade, elas podem não estar ovulando há anos. Há uma suspeita, também, de que os medicamentos interfiram nos contraceptivos orais em alguns pacientes”, diz o médico. “No entanto, existem diversos marcadores relacionados à fertilidade de um casal, que quando quer engravidar precisa ser acompanhado por uma equipe especializada e multidisciplinar. Não faz sentido usar um medicamento para emagrecer, sem orientação médica, com o objetivo de engravidar”, diz o Dr. Fernando.


Segundo a Dra. Deborah, pacientes obesos com fator de risco para hipertensão arterial, dislipidimias, infarto e AVC também podem se beneficiar do emagrecimento promovido por esse tipo de medicamento. Em breve, o Brasil também receberá outros compostos, mais potentes, o que poderá trazer ainda mais benefícios. “A tirzepatida (análogo do GLP-1 e de outro hormônio, GIP) promete um efeito adicional ao melhorar a secreção de insulina pelas células beta do pâncreas. Em estudos, existe a droga experimental retatrutida (além dos dois hormônios, GLP-1 e GIP, mimetiza mais um, o glucagon). O medicamento ajudou as pessoas a perder, em média, cerca de 24% de seu peso corporal. Enquanto a GIP melhora a forma como o corpo decompõe o açúcar, o glucagon pode reduzir o apetite e ajudar o metabolismo a funcionar com mais eficiência. A ciência está ‘pegando’ essas moléculas normais de sinalização presentes no corpo e as transformando em medicamentos”, destaca a Dra. Marcella. Mas todos eles precisam ser administrados com prescrição e acompanhamento médico. “O tratamento de obesidade é individualizado, há pacientes com padrão compulsivo, outros com depressão associada, insônia, saciedade reduzida, ansiedade, metabolismo lento. Todos esses fatores devem ser analisados para avaliar as melhores medicações e, também, reduzir os efeitos colaterais”, finaliza a endocrinologista.



FONTES: 


*DRA. MARCELLA GARCEZ: Médica Nutróloga, Mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da ABRAN. A médica é Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologia do Hospital do Servidor Público de São Paulo. Além disso, é membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética e da Sociedade Brasileira para o Estudo do Envelhecimento. Instagram: @dra.marcellagarcez


*DRA. DEBORAH BERANGER: Endocrinologista, com pós-graduação em Endocrinologia e Metabologia pela Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro (SCMRJ) e pós-graduação em Terapia Intensiva na Faculdade Redentor/AMIB. Com cursos de extensão em Obesidade, Transtornos Alimentares e Transgêneros pela Harvard Medical School, a médica tem MBAs de Saúde e Qualidade de Vida, de Marketing e Branding Médico e de Mindset, todos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), e curso de Obesidade e de imersão em Medicina Culinária pela Universidade de Campinas (UNICAMP). Fez Fellowship pela European Association for the Study of Obesity, em Portugal; é speaker dos laboratórios Servier, Novo Nordisk, Novartis, Merck, AstraZeneca, Lilly e Boehringer. Instagram: @deborahberanger


*DR. FERNANDO PRADO: Médico ginecologista, obstetra e especialista em Reprodução Humana. É diretor clínico da Neo Vita e coordenador médico da Embriológica. Doutor pela Universidade Federal de São Paulo e pelo Imperial College London, de Londres - Reino Unido. Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo, Membro da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva (ASRM) e da Sociedade Europeia de Reprodução Humana (ESHRE). Instagram: @neovita.br















Me encontre nas redes sociais:

Fonte: Assessoria de imprensa 

Quero ler o post completo

Melasma: saiba tudo sobre a condição que causa manchas escuras na pele

 Paolla Oliveira posta fotos com melasma à mostra; saiba tudo sobre a condição que causa manchas escuras na pele (Imagem divulgaçao)



Em fotos recentes publicadas em seu Instagram, a atriz Paolla Oliveira aparece sem maquiagem, deixando transparecer na pele as manchas características do melasma, que figura entre as condições de pele mais comuns no Brasil: segundo estimativas da Sociedade Brasileira de Dermatologia, atinge cerca de 35% das mulheres do país, podendo ser considerado uma verdadeira epidemia brasileira. "Caracterizado por manchas acastanhadas de bordas irregulares que surgem principalmente em áreas fotoexpostas, como a testa e a região malar, o melasma é uma doença que causa o aumento da produção de melanina (pigmento que dá cor à pele) pelos melanócitos (células da pele que produzem a melanina). Afeta majoritariamente mulheres, especialmente gestantes ou que fazem uso de medicamentos contraceptivos hormonais. No entanto, homens também podem desenvolver a condição. E, ainda que não represente um risco significativo para a saúde, o melasma pode gerar um grande desconforto estético”, explica o Dr. Danilo S. Talarico, médico pós-graduado em Tricologia Médica e Cirurgia Capilar. E, apesar de ter tratamento, que é focado no controle das manchas, o melasma é considerado uma doença crônica, logo, não tem cura e o tratamento não é definitivo. Logo, a prevenção é a melhor estratégia para lidar com o problema.


Cuidados preventivos 


– O melasma é uma doença multifatorial, com diversos mecanismos de ação envolvidos que devem ser levados em consideração no combate à condição. Nesse sentido, o principal fator desencadeante do melasma é, sem dúvida, a radiação ultravioleta do sol. “A radiação solar estimula os melanócitos a produzirem melanina, pigmento que dá cor à pele e causa as manchas. Além disso, alguns estudos têm apontado a luz visível, como aquela emitida por dispositivos eletrônicos, como outro fator desencadeante do melasma”, diz a Dra. Cláudia Merlo, médica especialista em Cosmetologia pelo Instituto BWS. Logo, o carro-chefe contra o melasma é o uso diário de protetor solar. “O ideal é optar por um filtro solar mineral com cor, pois é capaz de proteger a pele contra os danos dos três grandes agressores do melanócito: os raios ultravioletas, os raios infravermelhos e a luz visível”, recomenda o Dr. Danilo Talarico.


Hormônios e a genética também entram na equação do desenvolvimento do melasma. “Pacientes com histórico familiar da doença têm maior chance de sofrer com as manchas do melasma e, por isso, devem redobrar os cuidados preventivos. O mesmo vale para grávidas e pessoas que fazem uso de anticoncepcionais devido à ação dos hormônios femininos no estímulo da pigmentação da pele”, afirma o dermatologista Dr. Renato Soriani, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e expert em tecnologias dermatológicas.


Cuidados em casa 


– Uma vez que as manchas apareçam na pele, dada a variedade de fatores envolvidos na doença, a união de diferentes abordagens terapêuticas, sempre associada aos cuidados preventivos, é essencial para o controle do melasma e é o que garante bons resultados. Por exemplo, uma rotina diária de cuidados com a pele é fundamental no controle da condição. “O skincare devidamente ajustado para o melasma promoverá não só o clareamento das manchas, com ativos que reduzem a produção da melanina, mas reduzirá as agressões que os melanócitos sofrem no dia a dia. Mas não podemos nos iludir acreditando que a rotina de cuidados com a pele evitará o surgimento do melasma, pois a origem da doença independe dos produtos tópicos aplicados e advém de fatores genéticos, hormonais e ambientais de cada paciente”, diz o Dr. Danilo Talarico. Na rotina skincare, o Dr. Danilo recomenda o uso de limpadores extremamente suaves para higienizar a pele sem agredi-la. “Quem procura por um rejuvenescedor pode optar por produtos formulados com alfa-hidroxiácidos, que auxiliam no clareamento e no rejuvenescimento da pele de maneira menos agressiva”, aconselha o especialista.




Clareadores tópicos também são indispensáveis. Mas, como existem diversos mecanismos envolvidos no melasma, uma única formulação pode não ser suficiente, sendo necessário formular produtos diurnos e noturnos. “Formulações noturnas, geralmente, associam ácidos que irão estimular a renovação celular, deixando a pele mais sensibilizada, além de conterem substâncias que são fotossensíveis. Então, aposte em fórmulas com ativos como β-White (que age na proteína chave que regula a pigmentação), Superox-C (Vitamina C de origem natural e altamente antioxidante), Ácido Tranexâmico Lipossomado (diminui a produção de melanina e o fator vascular relacionado ao melasma), Metimazol (inibe a enzima envolvida no processo de pigmentação da pele) e Resveratrol (antioxidante)”, recomenda a farmacêutica Patrícia França, gerente científica da Biotec Dermocosméticos. Já pela manhã, devemos usar ativos que continuam o processo de clareamento, diminuem a inflamação e atuam como fotoprotetores. “Essa fórmula pode conter ativos como Ascorbosilane C (vitamina C vetorizada em silício que atua inibindo a melanogênese), Proshield MDC (produto com potente ação antioxidante e protetora contra a luz visível, poluição digital e luz azul), Silimarina (antioxidante), Niacinamida (antioxidante e atua na inibição da transferência da melanina formada para o queratinócito) e Miniporyl (atua como anti-inflamatório e modulador dos sebócitos, que conduzem à modificações de fibroblastos e comportamento dos melanócitos)”, acrescenta Patrícia.


É importante ressaltar ainda que existem fatores menos conhecidos que também favorecem a piora do quadro do melasma, prejudicando o tratamento, como é o caso do calor. “O calor externo do clima, da sauna e até mesmo do fogão pode escurecer as manchas da condição”, alerta a Dra. Claudia Merlo. Pacientes com melasma também devem redobrar a atenção com hábitos que aumentam a produção de radicais livres. “Qualquer hábito relacionado com a liberação de radicais livres pode piorar o melasma, incluindo estresse, tabagismo e exposição à poluição. Por isso, além de evitá-los, é recomendado o uso de cosméticos formulados com antioxidantes”, diz o Dr. Renato Soriani.


Tratamentos no consultório 


– Em consultório, o Dr. Renato Soriani destaca o laser de picossegundos como a peça-chave para reduzir as manchas escuras do melasma. “O laser de picossegundos causa uma microfragmentação da melanina, pigmento responsável pelas manchas, quebrando-a em pequenos pedaços para ser mais facilmente eliminada pelo organismo”, ensina o dermatologista. Inclusive, recentemente, um estudo apontou o laser de picossegundos como a tecnologia mais eficaz no tratamento da condição, principalmente quando combinado ao uso de ácido tranexâmico oral. “O ácido tranexâmico já é uma substância consagrada no tratamento do melasma, pois inibe que uma enzima chamada plasmina seja liberada na pele, o que ocorre após agressões, como aquela causada pela exposição solar, levando à estimulação de fatores relacionados com a formação de manchas escuras”, explica o médico.


E, além dos tratamentos que atuam diretamente sobre o pigmento, a Dra. Cláudia ainda ressalta a importância dos procedimentos que visam melhorar a qualidade da pele. “A integridade da barreira cutânea é uma questão fundamental e pouco discutida no tratamento do melasma. Uma barreira cutânea íntegra, além de proteger a pele contra agressores externos, garante um melhor controle do melasma. Nesse sentido, é importante, por exemplo, evitar produtos e tratamentos muito agressivos que podem prejudicar a barreira cutânea e causar irritação na pele, com consequente ativação da produção de melanina”, aconselha. “Para garantir uma barreira cutânea íntegra, também precisamos aumentar a produção de colágeno e garantir uma boa hidratação, que são prejudicadas com o passar dos anos. Por isso, sempre costumo indicar procedimentos como lasers e bioestimuladores para aumentar a produção de colágeno, além de injetáveis como o skinbooster, um ácido hialurônico que, em vez de volumizar, melhora a hidratação da pele”, detalha a médica.


Por fim, é importante destacar que um tratamento individualizado e devidamente planejado por um médico especialista após uma avaliação aprofundada de cada paciente é a solução mais eficaz no controle do melasma. “Vale lembrar ainda que o melasma é uma doença sem cura definitiva e, por isso, o tratamento deve ser contínuo, com os cuidados sendo mantidos ao longo de toda a vida para reduzir as manchas existentes e prevenir o aparecimento de novas alterações É necessário muito comprometimento, paciência e paciência da paciente, finaliza a Dra. Cláudia Merlo.



FONTE:


*DR. DANILO S. TALARICO: Médico Graduado há 15 anos pela PUC-Campinas, Professor do Instituto da Pele de São Paulo (IPSP-Centro Universitário Ítalo Brasileiro) e da Faculdade Primum (Antigo Instituto BWS) nos cursos de Dermatologia, Tricologia, Transplante Capilar (Cirurgia Capilar) e Medicina Estética. Speaker Científico e Adviser Científico de Indústrias Farmacêuticas e Indústrias de Tecnologias Médicas. Pós-graduado em Dermatologia Clínica-Cirúrgica, Transplante Capilar e Tricologia Médica, Medicina Estética e Perícia Médica. CRM: 135.299-SP. Instagram: @drdanilotalarico


*DR. RENATO SORIANI: Dermatologista membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD). Mestre em Dermatologia pela USP e ex-coordenador do Departamento de Laser e Tecnologias da Sociedade Brasileira de Dermatologia (2017-2021), o médico é CEO da Renascence Dermatologia (Ribeirão Preto/SP) e Key Opinion Leader nacional e mundial de marcas como INMODE, Entera, DEKA e LMG, além de atuar como coordenador e palestrante em congressos nacionais e internacionais. CRM 121106 | Instagram @renatosoriani.dermato


*DRA. CLÁUDIA MERLO: Médica especialista em Cosmetologia pelo Instituto BWS. Diretora da Clínica Cláudia Merlo. Instagram: @dra.claudiamerlo


*PATRÍCIA FRANÇA: Farmacêutica e gerente científica da Biotec Dermocosméticos.


















Me encontre nas redes sociais:

Fonte: Assessoria de imprensa

Quero ler o post completo